Notícias da Pecuária
Notícias sobre agronegócios, agricultura, pecuária e meio ambiente - 20 de Julho de 2019
20/12/2012 - 09:20

Eficiência da Inseminação Artificial na estação de monta

Para monitorarmos os resultados da estação de monta em andamento e avaliarmos a eficiência da IA, é necessário conhecer os resultados encontrados no diagnóstico reprodutivo por palpação retal a partir de 66 dias do início da estação ou a partir de 49 a 50 dias, quando usado a ultra-sonografia.
Nessa avaliação intermediária, devemos ficar atentos à porcentagem de fêmeas inseminadas nos primeiros 21 dias.

Em sistemas bem manejados, espera-se que cerca de 60-70% das fêmeas tenham sido inseminadas nas três primeiras semanas. Desta forma, avaliamos o índice de promoção/detecção de cios da propriedade. Na maioria das vezes, a aplicação da IATF é uma boa solução para aumentar o número de fêmeas gestantes quando essa taxa está abaixo do esperado.

O segundo ponto de observação é o intervalo de repetição de cios. Os cios se repetem em intervalos regulares de 17 a 24 dias, sendo mais comum em novilhas de 17 a 22 e, em vacas, 19 a 24 dias. Repetições fora desse intervalo podem ser atribuídas à reabsorção embrionária - nesse caso houve a fecundação, ou seja, o processo da inseminação foi bem executado, mas a gestação não teve continuidade. As causas (estresse térmico, doenças etc), então, devem ser investigadas pelo médico veterinário.

Repetições de cios em intervalos regulares de 17 a 24 dias indicam que não houve a fecundação e podem ser causadas por falhas no processo da Inseminação, entre a retirada do sêmen do botijão e sua deposição no interior do útero. As falhas nesta parte do processo podem ser decorrentes do inseminador, da qualidade e/ou do descongelamento do sêmen, e devem ser pesquisadas pelo corpo técnico/administrativo da propriedade a fim de se proceder às ações corretivas, quando os resultados não correspondem aos padrões técnicos desejáveis.

Tradicionalmente, aceita-se tecnicamente como bons os resultados em gado de corte quando o gasto de sêmen está entre 1,15 e 1,5 dose por concepção, ou seja, entre 66,7% e 87% de taxa de concepção. Em gado de leite, os resultados são bons se o gasto é de 1,5 a 2 doses por concepção, ou seja, entre 50% e 66,7%. Em ambos os casos, essa avaliação é válida para inseminações realizadas após observação convencional do cio.

Utilizando-se o Descongelador Eletrônico de Sêmen Fertilize®, eliminamos a possibilidade de falhas no fator descongelamento do sêmen com diminuição das repetições de cio em intervalos regulares. Pela nossa experiência e também pela comprovação de diversos usuários e pesquisadores, quando se introduz essa tecnologia na propriedade há aumento na taxa de concepção, mais crias nascidas por ano em gado de corte e de leite, diminuição dos intervalos de parto e melhora na relação entre vacas em lactação/vacas secas.  Em gado leiteiro, verifica-se, ainda, maior produção anual de leite.

Autor: Ricardo Reuter Ruas - Médico Veterinário
Diretor da Fertilize®
Consultor da Asbia - Associação Brasileira de Inseminação Artificial
Autor das cartilhas de Inseminação Artificial do Senar-MG e Senar-SP e do Manual de IA  da ASBIA

Gostou? Compartilhe!
COMENTE ESTA NOTÍCIA
CURTIU O NOTÍCIAS DA PECUÁRIA?
MAIS NOTÍCIAS
20 de Dezembro de 2012
16:21
15:15
14:08
13:00
10:10
09:05
08:48
08:00
Publicidade
Publicidade
ACOMPANHE NO FACEBOOK
Notícias da Pecuária - Todos os direitos reservados 2019.